Ir para o conteúdo
Mostrar cesto Esconder cesto

Empreendimento de Economia Solidária

EITA Empreendimento de Economia Solidária

Tela cheia Sugerir um artigo

Blog da EITA

25 de Novembro de 2013, 11:44 , por Alan Freihof Tygel - | Ninguém está seguindo este artigo ainda.

Convocação da Assembleia Geral Ordinária 2018

30 de Janeiro de 2018, 16:25, por Rosana Kirsch - 0sem comentários ainda

Nos termos do Estatuto, convoco os/as associados/as da EITA - Cooperativa de Trabalho Educação, Informação e Tecnologia para Autogestão, CNPJ 19515323/0001-46, para a Assembleia Geral Ordinária a realizar-se na Praça Doutor Paiva de Oliveira, 513, Centro,
Caldas/ MG, CEP 37780-000.
A Assembleia Geral Ordinária, convocada por meio deste Edital de Convocação, será no dia 01/3/2018, tendo a primeira e segunda chamadas às 08h e 09h, respectivamente.

A EITA – Cooperativa de Trabalho Educação, Informação e Tecnologia para Autogestão, no momento de divulgação deste Edital de Convocação conta com oito associada/os.
A Assembleia Geral Ordinária terá a seguinte ordem do dia:
1.Entrada como associada de Uschi Cristina Silva;
2.Saída do associado Bráulio Barros de Oliveira;
3.Prestação de contas 2017;
4.Eleição do Conselho de Administração;
5.Eleição do Conselho Fiscal.

Caldas/ MG, 30 de janeiro de 2018.



EITA na Troca de Experiência - Mapeamento Colaborativo

11 de Janeiro de 2018, 9:33, por Rosana Kirsch - 0sem comentários ainda

Img 20180105 wa0008

No dia 11/01, as 09hs, nos encontraremos presencialmente no Recife/PE e on line, com pessoas de vários pontos do Brasil, com a finalidade de estudarmos as plataformas de mapeamento colaborativo existentes e decidirmos em qual iremos convergir, somando nossas idéias, divulgando nossos trabalhos, facilitando a hospedagem solidária com troca de saberes, ampliando nossas habilidades em favor do todo, fortalecendo nossas dificuldades e outras formas de moedas solidária, focando nos recursos humanos como eixo de nossa força.
A presença e o olhar de cada um de nós é de fundamental importância, estamos ancorando a verdadeira escola viva, facilitando o resgate da força trabalho em União, como nossos antepassados já faziam em Mutirão.
Segue o link: https://meet.jit.si/mapeamentocolaborativo



Linhas para tecer o Saneamento Rural no Brasil

18 de Outubro de 2017, 11:28, por Rosana Kirsch - 0sem comentários ainda
Pnsr

 

As diretrizes e estratégias do Programa Nacional de Saneamento Rural vêm sendo tecidas de forma colaborativa, partindo de quatro processos principais:

  • Trabalhos de campo realizados nas cinco regiões do país;
  • Seminários e oficinas temáticas efetuados na UFMG;
  • Oficina Nacional do PNSR, ocorrida ao final de 2016;
  • As cinco Oficinas Regionais recém realizadas, cujos resultados estão em fase de sistematização e análise.

Acesse a versão preliminar dos documentos, que congrega as diretrizes e estratégias relativas às quatro dimensões tecnológicas - abastecimento de água, esgotamento sanitário, manejo de resíduos sólidos e de águas da chuva -, à gestão dos serviços e à educação e participação social. Contribua até o dia 25 de outubro de 2017 com sugestões para o aprimoramento desses documentos!
 
Contribuir agora!


Plataforma #ChegaDeAgrotóxicos é lançada no Brasil

18 de Outubro de 2017, 11:15, por Rosana Kirsch - 0sem comentários ainda

Construído por diversas organizações, site explica ameaças de retrocessos na legislação de agrotóxicos e coleta assinaturas para pressionar pela Política de Redução de Agrotóxicos

Chega

Foi lançada nesta quinta-feira (16/03/17) a plataforma online #ChegaDeAgrotóxicos. A ferramenta é uma estratégia de mobilização da sociedade na luta contra os retrocessos que podem colocar ainda mais venenos na mesas da famílias brasileiras.

Preocupadas com o chamado Pacote do Veneno – uma série de medidas que visam liberar ainda mais o uso de agrotóxicos no Brasil –, diversas organizações da sociedade se juntaram para construir a plataforma #ChegaDeAgrotóxicos. O site recolhe assinaturas contrárias ao Projeto de Lei 6299/2002, do agora ministro da agricultura Blairo Maggi, e divulga informações sobre os riscos dos agrotóxicos.

Carla Bueno, da Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e Pela Vida, explica o objetivo deste movimento: “Queremos alertar a sociedade para o enorme risco que estamos correndo caso o Pacote do Veneno seja aprovado. Nossa proposta é a Política Nacional de Redução de Agrotóxicos (PNaRA), que é composta por uma série de medidas que restringem os agrotóxicos e podem nos livrar do posto de maior consumidor de venenos do mundo”.

A PNaRA foi construída há mais de dois anos, numa parceria entre a sociedade civil e o governo, no contexto da Política Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica. Na época não pôde ser implementada pois foi vetada pelos ruralistas. Entre as medidas contidas na PNaRA, estão o fim das isenções fiscais para agrotóxicos, e a criação de zonas livres de agrotóxicos e transgênicos para incentivar a agroecologia no Brasil.

“O agronegócio, além de ser 100% dependente do uso de agrotóxicos, representa um grande entrave para o desenvolvimento da agroecologia e a produção de alimentos saudáveis. É preciso dar um basta nos ruralistas, e iniciar uma transição do modelo de produção agrícola em nosso país e para isso a Reforma Agrária se coloca na ordem do dia”, afirma Carla.

Projetos de Lei

As assinaturas recolhidas no site chegadeagrotoxicos.org.br irão servir como pressão para barrar o Projeto de Lei 6299/2002. Nele, há uma proposta de revogação da atual lei de agrotóxicos, e a criação de uma lei de “defensivos fitossanitários”, que acabaria inclusive com o nome “agrotóxico”. Desta forma, todo o perigo representado por estas substâncias ficaria oculto. Além disso, o texto abre brechas para aprovação de novas substâncias que provocam câncer, mutação genética e má-formação fetal.

Ao mesmo tempo, o conjunto de organizações que lançou a plataforma pretende apoiar a aprovação do Projeto de Lei 6670/2016, que institui a PNaRA. O projeto é uma iniciativa da sociedade civil, que propõe mais de 100 medidas para reduzir os agrotóxicos no Brasil.

A plataforma #ChegaDeAgrotóxicos é assinada pela Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e Pela Vida, Greenpeace, Associação Brasileira de Saúde Coletiva, Associação Brasileira de Agroecologia, Articulação Nacional de Agroecologia, Aliança Pela Alimentação Saudável, Aliança de Controle do Tabagismo, Central Única dos Trabalhadores, Fórum Nacional de Combate aos Impactos dos Agrotóxicos, FIAN Brasil, Fiocruz, Fórum Brasileiro de Segurança e Soberania Alimentar, Idec, Slow Food e Via Campesina.

Acesse o site: http://www.chegadeagrotoxicos.org.br/



Entidades lançam #ChegaDeAgrotóxicos para pressionar a redução do uso de venenos

18 de Outubro de 2017, 11:12, por Rosana Kirsch - 0sem comentários ainda

Petição online quer mobilizar a sociedade contra "Pacote do Veneno", proposta que avança na Câmara para revogar a legislação, acelerar o registro de novos agroquímicos e favorecer ainda mais o mercado

Por: Cida de Oliveira, da RBA

São Paulo – Organizações da área de saúde, meio ambiente, produção agrícola sustentável e de promoção dos direitos humanos lançaram hoje (16/03/17) a plataforma online #ChegaDeAgrotóxicos. Em forma de petição online, tem como objetivo mobilizar a sociedade pela aprovação do Projeto de Lei (PL) 6.670/2016, que institui a Política Nacional de Redução de Agrotóxicos (Pnara).

O PL foi criado a partir de um documento apresentado em novembro passado pela Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco), a Campanha Permanente contra os Agrotóxicos e pela Vida, a Articulação Nacional de Agroecologia (ANA), o Instituto de Defesa do Consumidor (Idec) e o Greenpeace como alternativa ao Programa Nacional de Redução de Agrotóxicos (Pronara), criado em 2014, porém nunca implementado.

No começo de fevereiro, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, anunciou a criação de uma comissão especial para discutir o PL 6.670. Até agora, porém, não houve indicação de nomes por nenhum dos partidos.

A Pnara é mais uma ação dessas entidades que vêm com preocupação o avanço do chamado "Pacote do Veneno". Trata-se de um conjunto de 18 projetos de lei apensados ao PL 6299/2002, já aprovado no Senado. De autoria do atual ministro da Agricultura, Blairo Maggi, o projeto altera pontos importantes da atual Lei dos Agrotóxicos (Lei 7.802/89).

No entanto, dos PLs que compõem o "Pacote do Veneno", o mais criticado é o 3.200/2015, do deputado federal Luís Antonio Franciscatto Covatti (PP-RS). Entre outras coisas, propõe a criação de uma Comissão Técnica Nacional de Fitossanitários (CTNFito), no âmbito do MAPA, a qual ficará responsável pela apresentação de "pareceres técnicos conclusivos aos pedidos de avaliação de novos produtos defensivos fitossanitários, de controle ambiental, seus produtos técnicos e afins e indicará os 23 membros efetivos e suplentes, deixando de fora representantes dos consumidores e da Anvisa".

O #ChegaDeAgrotóxicos é também um espaço de divulgação de informações confiáveis sobre os riscos dos agrotóxicos.

Acesse a matéria: http://www.redebrasilatual.com.br/saude/2017/03/entidades-lancam-chegadeagrotoxicos-para-pressionar-a-reducao-do-uso-de-venenos